‘Game of Thrones’ retorna morno, mas relevante

By | 17th July 2017

Primeiro episódio da sétima temporada monta cenário de estratégias do que está por vir na série da HBO

Por
Raquel Carneiro

access_time

16 jul 2017, 23h44

“Podemos começar?”, questiona Daenerys (Emilia Clarke) ao fim do primeiro episódio da sétima temporada de Game of Thrones, em uma bela cena diante da mesa de estratégias de sua família, no castelo de Dragonstone. A loira mais poderosa dos Setes Reinos, contudo, quase não foi vista ao longo do capítulo, que, apesar de morno, serviu para montar as primeiras peças do quebra-cabeça que vai traçar o destino dos personagens da série da HBO.

Quem abre o episódio é outra poderosa, Arya Stark (Maisie Williams), que ao fim da sexta temporada matou Lorde Walder Frey (David Bradley) e, agora, finalizou o trabalho assassinando os homens que sobraram da casa, parte de sua vingança do sangrento e inesquecível Casamento Vermelho.

A jovem, que não teve paz desde a morte de seu pai, Ned Stark (Sean Bean), na primeira temporada, passou por um momento de calmaria ao conhecer um grupo de soldados, do qual Ed Sheeran (sim, o cantor), fez uma participação especial. Depois de ouvir uma canção do britânico e de dividir comida com o grupo, Arya fala sobre sua próxima missão: matar Cersei (Lena Headey), a rainha.

Em Porto Real, Cersei e Jaime (Nikolaj Coster-Waldau) encaram a situação precária dos Lannister. Sem aliados, com Jon Snow (Kit Harington) no comando do Norte, e Daenerys rumo ao lar, o casal de irmãos procura uma estratégia para manter o poder. Como esperado, a rainha recebe no castelo Euron Greyjoy (Johan Philip Asbæk), que a pede em casamento e promete um presente para conquistar a donzela em sua próxima visita.

Entre os Starks remanescentes, Bran (Isaac Hempstead Wright) chega à muralha e Sansa (Sophie Turner) e Jon Snow ajustam a relação no comando de Winterfell. A jovem dá ao novo rei um conselho que ele precisa repensar: cuidado para não ser como Ned Stark. Afinal, ser muito honrado na saga de George R.R. Martin nunca levou ninguém a lugar algum.

Por fim, dois personagens à margem dos coadjuvantes ganharam verniz no capítulo. Samwell Tarly (John Bradley-West), na cidadela, descobre que Dragonstone  – antigo lar dos Targaryen, onde Daenerys agora fincou seu QG – existe uma grande quantidade enterrada de vidro de dragão. Esperança contra os Caminhantes Brancos, que marcham rumo à muralha, com o reforço dos gigantes que morreram na temporada da anterior. Clegane (Rory McCann), quem diria, retorna com o grupo de andarilhos seguidores do Senhor da Luz e tem uma visão: os zumbis vão encontrar uma brecha no ponto em que a Muralha encontra o mar.

Por fim, um detalhe em dúvida. Quem seria o homem de braço queimado que pergunta a Samwell se Daenerys já chegou? Outro Targaryen?

Source link

قالب وردپرس

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *