Game of Thrones: Os bastidores da grande cena de batalha de ‘The Spoils of War’ – Notícias Visto na web

By | 8th August 2017

Produtores, diretor e supervisores comentam os desafios de criar as explosões e os embates.

Você achou que havia se impressionado o suficiente na sexta temporada de Game of Thrones com a Batalha dos Bastardos – e, antes disso, com a Batalha de Durolar, a Batalha de Castelo Negro, e a Batalha Água Negra. E então a sétima temporada colocou Jaime Lannister (Nikolaj Coster-Waldau) de um lado, Daenerys Targaryen (Emilia Clarke) e seu filho, Drogon, de outro. E você ficou sem saber para que lado torcer.

O episódio 4 da sétima temporada, ‘The Spoils of War’, mostrou o que a produção havia prometido com antecedência: dragões completamente crescidos, um Drogon do tamanho de um Boeing 747, cuspindo fogo nos soldados Targaryen de maneira impiedosa.

Em um vídeo de bastidores divulgado pela HBO, os produtores da série, David Benioff e D.B. Weiss, e o diretor do episódio, Matt Shakman (que apenas estreou em Game of Thrones) falaram da grandiosidade das filmanges. Foram oito câmeras, incluindo uma câmera-aranha e um drone de alta precisão para capturar todos os movimentos, dezenas de dublês pegando fogo e muitas explosões.

“É como um filme de viagem no tempo”, sugere Weiss. “E se alguém tivesse uma F-16 que pudesse levar para uma batalha medieval?”

Para Shakman, o maior desafio era balancear os muitos pontos de vista que a sequência exigia. “Eu escolhi focar em Jaime”, contou. “Porque ele estava prestes a estar do outro lado de um grande ataque de um dragão. Tentando manter as suas tropas unidas enquanto assistia ao mundo sendo mudado para sempre.”

A cena foi filmada em Cáceres, na Espanha, mais especificamente na região de Los Barruecos. São dezenas de departamentos trabalhando me conjunto, em um dos maiores desafios da série até agora – como pontua Benioff. Enquanto as equipes de cenário se preocupam com o visual destruído, com os mínimos detalhes para que todo o campo pareça destruído pelo fogo, a equipe de fotografia toma fôlego para um Senhor Trabalho.

Game of Thrones 7.04: Os Espólios de Guerra (Crítica do episódio)

“Trabalhamos com três veículos de rastreamento diferentes; tinhamos uma picape com uma boa suspensão para as incursões dos dothraki; um outro veículo chamado Shadow Tracker (…) e depois basicamente um Buggy equipado com um estabilizador para tirar todas as tremedeiras e nos fornecer cenas regulares para usarmos nas sequências de movimento”, contou o diretor de fotografia Rob McLachlan.

Para as cenas que acompanham Dany e Drogon em primeiro plano, Shakman conta que foi usada uma companhia chamada Fly Cam. “É basicamente um drone equipado como um mini-helicóptero. Eles conseguiam ir muito rápido e ter uma imagem muito mais sólida do que se tivéssemos usado um drone tradicional”, explica o diretor.

Nessas dimensões, a batalha toda se ampara muito em efeitos visuais, sobretudo porque o elemento mais chamativo é Drogon.

“Para se ter uma ideia, na sexta temporada, que foi a nossa maior temporada até agora, tivemos 11 cenas com a Emilia montada no dragão. Nesta cena, tivemos mais de 80”, revela o supervisor de efeitos visuais Joe Bauer.

Mas o maior desafio da equipe foi criar com a maior veracidade possível o movimento das chamas emitidas por Drogon. Sobretudo em uma das sequências em que o ponto de vista está em Dany e o dragão destrói uma linha reta de trens de pilhagem e soldados Lannister. O primeiro passo é, literalmente, explodir coisas. Com bombas subterrâneas e explosões contidas, sob o olhar de Sam Conway, o supervisor de efeitos visuais responsável por “colocar fogo nas coisas” – como Benioff define. Depois, é criar as labaredas que vêm ‘de cima para baixo’.

“Sempre vamos aumentar o tamanho das chamas na pós-produção. Vamos gravar os elementos principais sob um fundo preto, mas Sam precisa fazer com que o impacto das chamas seja destacado, como se estivesse viajando”, explica o produtor Chris Newman.

Por fim, há dois elementos específicos que não podem ser criado com efeitos visuais: as incursões dos dothraki e os dublês em chamas.

“Nós queimamos mais homens do que jamais haviam sido queimados em uma única tomada e em uma única sequência”, revela Shakman – e até o maior número de homens queimados na história da televisão, de acordo com o produtor Duncan Muggoch. Foram 20 pessoas em uma sequência, o que de fato é um recorde.

“Quando você tem toda essa quantidade de pessoas, e todas elas nas chamas, e o calor aumentando no centro…, eu queria ter certeza de que poderíamos manter todos distantes um do outro o máximo possível”, explica Conway, revelando que este é o segredo para manter a segurança. E os dublês completam, explicando que o necessário é manter o ritmo de respiração calmo, para salvar oxigênio.

O resultado – o impressionante resultado, diga-se – você confere no episódio ‘The Spoils of War’, disponível na HBO Go.

 

Source link

قالب وردپرس

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *