Game of Thrones: 7ª Temporada Episódio 2 – O jogo pode virar

By | 24th July 2017

O Segundo episódio da 7ª Temporada de Game of Thrones – Stormborn – foi ao ar nesse domingo, dia 23 de Julho, na HBO e as coisas foram caminhando para um destino bem interessante.

A Estratégia

Daenerys Targaryen está em Dragonstone junto com sua equipe, planejando os próximos passos para tomar King’s Landing. Mas diferente de todos aqueles que estavam tentando ela tem Tyrion Lannister, que pode não ser um grande guerreiro, mas entende um pouco de estratégia e conhece muito bem como funciona a vida por lá, principalmente Cersei.

A Mãe dos Dragões divide seu coração entre o Rei Louco e a Quebradora de Correntes, ora com vontade de fazer justiça, ora implacável para se proteger do ninho de cobras que está prestes a entrar. Pudemos sentir esse lado mais sombrio na conversa que teve com o Lorde Varys e cá, pensando com meus botões, porque raios ela só foi dizer o que pensa agora? Acredito que isso aconteceu por dois motivos: Daenerys mudou completamente seu jeito de agir e pensar ao chegar em Dragonstone, talvez pelo espírito e intensidade que aquele lugar representa. E o outro motivo dá-se ao fato de que Khaleesi já está entrando em ritmo de Game of Thrones, tentando quebrar um pouco da incógnita que o Varys é, em todos os momentos.

Por fim, tudo ficou combinado que fariam um cerco – estratégia clássica na idade média – matando assim os habitantes do local pela escassez de suprimentos. Isso porque Tyrion sabe como é difícil invadir o local, já que foi vencedor de um ataque de peito aberto feito por Stannis Baratheon. Mas o que chamou mesmo a atenção, foi o fato do anão querer Casterly Rock, que é algo que era desejo dele há muito tempo e que Tywin negou veementemente. Talvez essa seja a vingança final do Ímpio contra seu pai, ou ele estaria tramando alguma coisa a mais?

As duas rainhas

Jon Snow recebe o convite da Daenerys e por precisar de fortes aliados e por receber o comunicado de Sam de que lá pode conter muito Vidro de Dragão, o atual Rei do Norte decide partir e deixar Sansa no Poder. A garota já está com algumas atitudes bem sinistras, contrariando todas as ideias de Jon, que sempre pensa no bem comum do povo e em como se proteger contra o mal que está por vir. Sansa teve um grande professor – mindinho – e por aí podemos pensar que a menina Stark, que será rainha do Norte, poderá tomar decisões que não agradem Jon, de repente até se reaproximando do mindinho. Esse último será sempre uma incógnita, pois ele se diz apaixonado por Sansa, mas acredito que ele seja mais apaixonado ainda por poder, o que faz ele não medir esforços para conquistar seu objetivo, doa a quem doer. Não duvidaria nada se ele não cogitasse se aliar à Cersei pela atitude de Jon em ameaçá-lo, ou até mesmo pela própria repudia da garota Stark.

O artigo continua abaixo

Cersei sabe que o cerco está fechando e no desespero convoca alguns lordes poderosos para lutar ao seu lado. Vimos que o Pai de Sam foi a reunião e Jaime tenta convencê-lo a participar da guerra do lado da Coroa. Isso pode gerar um embate interessante entre famílias, com um Tarly pra cada lado e um Lannister contra o outro.

Não é você

Um dos encontros que muitos que leram o livro esperavam era o de Arya com sua antiga loba gigante Nymeria. Acredito que isso simboliza duas coisas bem interessantes. A primeira é que mostra realmente para a garota que uma alcateia é muito mais forte do que uma loba solitária, e que ir até Winterfell, ao invés de tentar assassinar a rainha sozinha é a melhor escolha. E a segunda veio de uma frase bem emblemática que a menina sem face diz à loba gigante quando faz o convite para acompanha-la para o norte: Não é você – ou seja, isso pode ser muito representativo, mostrando que ambas – a loba e arya – não são mais as mesmas do passado, justamente por tudo o que as duas passaram. Ou também, podemos imaginar que um warg, de repente Bran, podia estar controlando a loba e Arya, por ser uma Stark e ter o poder de warg embutido, pode ter percebido.

Meu presente para você

Euron Greyjoy tinha dito a Cersei que não voltaria a falar com ela sem um presente digno de uma rainha e o cara navegou até encontrar seus sobrinhos Greyjoy e a galera de Dorne. O titio conseguiu vencer a batalha detonando facilmente os aliados da mãe dos Dragões, detonando a primeira parte do plano de cerco e ainda por cima sai com um presentinho bem interessante para a Rainha de Westeros – a comandante de Dorne e das Ilhas de Ferro. Isso é uma prova da grande força que Euron tem, e que o jogo pode virar.

O último ponto que devemos comentar é a nova arma que a rainha tem em mãos. Uma Balestra para caçar Dragões, ou seja, tá aí uma medida que pode ser tomada contra os Dragões, ainda que ineficiente – na minha opinião. De repente o Berrante do Dragão fosse mais negócio (Uma corneta que Euron diz ter achado na Valíria, capaz de controlar Dragões), mas ao que tudo indica, isso vai ficar apenas pra história mesmo.

O pau já está quebrando, a guerra já começou e já está tomando seu rumo. Uns vão escolher lados, outros farão o que puderem para ter sua estratégia posta em prática, portanto ficaremos ligados no próximo episódio.

Source link

قالب وردپرس

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *